ONLINE
2
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  The best bookmakers at: I want to seize these offers now!

Coisas que aprendi com o poker – Parte II

Coisas que aprendi com o poker – Parte II

Nesta segunda parte, falo sobre como o poker me ajudou a interagir socialmente com pessoas desconhecidas.

por Academia   |   Comentários 0

Poker é, dentre outras coisas, um poderosíssimo instrumento de interação social. Você senta em uma mesa e fica por horas e mais horas jogando com outra 5, 6, 7, 8 ou 9 pessoas. 
 
É inevitável, que durante o grind, surjam conversas dos mais variados assuntos, e eu comumente estimulo jogadores a conversarem o máximo possível com os jogadores fracos por inúmeras razões.
 
Primeiro, você deve querer fazer com que os donkeys se sintam bem na mesa, afinal, são eles que financiam o jogo. Poucas coisas me irritam mais nos feltros do que ver regulares decentes criticando e zombando de jogadas de jogadores fracos. Isso é semelhante a dar um tiro no pé. Além disso, poker é um jogo de informações incompletas, e jogadores inexperientes, enquanto conversam nas mesas, dão valiosas informações sobre a forma como pensam poker e, consequentemente, como o jogam. Logo, você deve estimular a que eles falem, obviamente, não lhes ensinando nem dando informações sobre seu jogo, mas absorvendo o máximo possível sobre o que eles falarem.
 
Além do mais, fiz várias boas amizades nas mesas, tanto com outros profissionais, quanto com jogadores recreativos, que tem o poker somente como hobby. As trocas de experiências e informações quer ocorrem em uma mesa de poker, não deveriam passar batidas por você. Ainda, creio que jogadores que ficam afundados em seus fones de ouvidos, celulares e óculos escuros, sem conversam com ninguém, de certa forma, intimidam alguns recreativos, o que é ruim para todos. 
 
Eu não quero lhe instigar a ser uma verdadeira matraca nas mesas, mas sim a aproveitar seu tempo nos feltros e conversar com outros jogadores, adquirir novas experiências, tentar coletar informações que podem ser utilizadas posteriormente e, porque não, fazer novas amizades.
 
Poucos outros jogos tem um apelo social como poker. Certo, no fim das contas é você contra os demais jogadores, mas isso não os torna inimigos, de forma alguma. 
 
Seja educado, cordial e responda, dentro do possível, quando lhe questionarem ou puxarem papo. Não seja aquele regular chato e mal-educado, que não conversa com ninguém e que faz piadinhas quando jogadores fracos cometem erros. Da mesma forma, não fique dando coach gratuito e ensinando os demais a jogarem. Poucas coisas são tão insuportáveis nos feltros quanto ‘’professores matracas’’.
 
Por fim, aproveite dos benefícios de jogar um jogo que lhe possibilita conhecer, a cada dia, pessoas novas, isso é uma verdadeira dadiva!

Daniel Dornelles
 
, , , , , , ,

Partilhar "Coisas que aprendi com o poker – Parte II" via:

Enviar comentário

Comentário (0)


 
p