ONLINE
0
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  The best bookmakers at: I want to seize these offers now!

Coisas que demorei para aprender – Parte III

Coisas que demorei para aprender – Parte III

Qualquer jogador que queira levar o poker a sério, deve ter uma noção mínima de como a variância (em períodos de downswing) influencia e afeta nossos resultados, bem como forma de jogar.

por Academia   |   Comentários 0

Creio que a variância é um dos temas mais mal compreendido por jogadores de poker, inclusive os de nível intermediário e avançado.

Neste artigo, evitarei trabalhar com números e aspectos matemáticos, e focarei em demonstrar como a variância, e sua má compreensão, podem abalar carreiras promissoras e jogadores talentosos.

Antes de mais nada, é necessário termos em mente que a variância comporta períodos bons e ruins, ou seja, durante nossas carreiras, teremos, e isso é inevitável, períodos de upswings e downswings. Um erro comum, inclusive em jogadores experientes, é apontar maus resultados à variância, dizendo que estão passando por downswings, e atribuindo as boas fases a sua técnica e edge no jogo. Isso é um erro grave. No poker, para evoluirmos, é necessário que sejamos sinceros, não omitindo dados de nossas sessões ruins. Precisamos fazer reviews constantemente e ver onde estamos errando e acertando. Poker é um esporte em constante evolução, e quem não está disposto a pagar o preço necessário para acompanha-lo, certamente ficará para trás na cadeia alimentar.

O que eu quero dizer com tudo isso, é que você precisa analisar suas sessões, as mãos que jogou, debater com jogadores que considera bons e competentes, seguir estudando para, ai sim, descobrir se esta enfrentando um período ruim ou simplesmente jogando mal. Infelizmente, se você é um jogador fraco, não adianta culpar a variância e downswings que nunca tem fim pelos resultados. O problema não se trata da variância, mas simplesmente você não esta batendo os jogos que vem jogando!

Conheço bons jogadores que ficaram meses tendo resultados ruins, mesmo quando estavam jogando seu A-Game. Na verdade, isso é mais standard do que a maioria das pessoas pensa. Lembro, há um tempo atrás, de ter visto uma entrevista de David Oppenheim, dizendo que tinha passado praticamente um ano inteiro perdendo. E estamos falando de um dos melhores jogadores de mixed cash games do mundo.

Por experiência própria, afirmo: independente de sua habilidade e tempo no esporte, você nunca estará 100% preparado para um período de downswing/variância negativa, até que ela bata a sua porta. Por isso, é tão importante jogar dentro de seus limites, com reservas financeiras. O público em geral, iria se surpreender se soubesse quantos jogadores profissionais e excelentes no esporte não respeitam bankroll adequadamente, mas isso é assunto para outro artigo.

Variância é parte intrínseca do jogo, sempre existirá e você precisa entendê-la se quiser obter sucesso. É muito fácil jogar poker quando estamos runnando bem e vencendo quase todos os dias, mas somente os melhores se mantem jogando seu A-Game em períodos ruins, em que parece que a matemática não fecha e começamos a questionar vários pontos em nosso jogo.

Portanto, entenda a variância, tenha em mente que ela é parte do jogo, tão importante quanto às fichas e as cartas. Saiba que os melhores irão vencer no longo prazo. Maximize os ganhos em períodos de upswing, e não perca a cabeça (e seu bankroll) em fases ruins. Lembre-se: elas são inevitáveis, e de tempos em tempos, irão bater a sua porta!

Daniel Dornelles

Coisas que demorei para aprender – Parte II
, , , , , , ,

Partilhar "Coisas que demorei para aprender – Parte III" via:

Enviar comentário

Comentário (0)