ONLINE
116
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  Visit our site available at: Go to Online Betting Academy
           

Mais quatro anos de George ST. Pierre no UFC


Mais quatro anos de George ST. Pierre no UFC

Principal nome dos pesos-meios-médios do UFC, o canadense George St. Pierre fez sua última luta no fim de 2013, onde defendeu pela nona vez seu cinturão, se afastando do octógono ainda como campeão e uma lenda da sua categoria. Depois de três anos afastado do UFC, o lutador, que agora está com 35 anos, garantiu recentemente sua volta ao cenário do MMA, acertando o período do seu novo contrato e tendo possíveis oponentes ainda para 2017.

A VIDA ANTES DA LUTA

Nascido em Saint-Isidore, Quebec, no Canadá, em 19 de maio de 1981, George St. Pierre começou a aprender karatê kyokushin ainda jovem para defender-se do bullying que sofria no colégio. Depois da morte do seu mestre de karatê, o jovem canadense começou a praticar outros estilos de luta, como kickboxing e o jiu-jitsu brasileiro. Durante sua juventude, George St. Pierre esteve em várias academias, ao lado de vários atletas, tornando ao longo desse período faixa preta em três estilos de luta: o Jiu-Jitsu Brasileiro (BJJ), o Shotokan Karatê e o Karatê Koykushin. Porém, antes de tornar-se um lutador profissional, trabalhou como segurança de uma boate e como lixeiro para pagar seus estudos.

INÍCIO DE UMA PASSAGEM GLORIOSA PELO UFC

GSP, como é abreviado o nome de George St. Pierre, estreou no UFC em 2004, quando participou do card preliminar do UFC 46, vencendo por decisão unânime Karo Parisyan. Depois da boa apresentação, GSP conseguiu mais uma vitória, por nocaute contra o norte-americano Jay Hieron. Com essas duas vitórias, St. Pierre disputou o cinturão dos pesos-meio-médios pela primeira vez, enfrentando a lenda Matt Hughes no UFC 50. Mesmo fazendo uma boa apresentação perante um adversário muito mais experiente, GSP foi finalizado com uma chave de braço no fim do primeiro round e não ficou com o cinturão.

Na sequência, o canadense venceu outras duas lutas, até que em novembro de 2005, foi colocado para enfrentar Sean Sherk, que foi disputada no UFC 56, a luta foi encerrada com um nocaute técnico de George St. Pierre, o segundo lutador a vencer e o primeiro a nocautear Sean Sherk. Na sequência, GSP enfrentou o ex-campeão dos meio-médios, B.J. Penn, para definir o próximo desafiante do cinturão da categoria. Em um combate complicado, St. Pierre teve seu nariz quebrado ainda no primeiro round, mas dando a volta por cima, venceu a luta contra Penn por decisão dividida dos juízes. Em setembro de 2006, GSP teria a oportunidade de disputar o cinturão do peso-meio-médio contra Matt Hughes, porém, por uma lesão na virilha, GSP teve de ser substituído por B.J. Penn, que foi derrotado por Hughes no combate.

TORNA-SE UMA LENDA

Depois de participar do TUF norte-americano como treinador, George St. Pierre disputou o cinturão dos pesos-meio-médios do UFC contra Matt Hughes, no UFC 65. Em uma luta praticamente dominada por GSP, o lutador canadense venceu por nocaute técnico o então campeão no fim do terceiro round com chute na cabeça e socos, conseguindo assim consagrar-se campeão da categoria. Porém, logo na sua primeira defesa de cinturão, George St. Pierre foi derrotado por seu ex-aluno de TUF, Matt Serra, que contrariando todas as apostas, nocauteou GSP e tomou o cinturão para si. Depois de vencer a luta seguinte, GSP disputou o cinturão interino dos pesos-meio-médios, substituindo Matt Serra no combate contra Matt Hughes. Na sua terceira luta contra Hughes, George St. Pierre finalizou seu adversário, ficando com o cinturão da categoria e faturando o prêmio de Finalização da Noite do UFC 79. Na sequência, GSP fez sua revanche contra Matt Serra, dessa vez valendo o cinturão principal dos meio-médios. Em evento realizado em Quebec, cidade natal de St. Pierre, o canadense foi bem e venceu Serra, consagrando-se campeão dos pesos-meio-médios do UFC.

A partir daí, George St. Pierre defendeu seu cinturão nove vezes, vencendo todas as suas lutas, como contra os norte-americanos B.J. Penn e Nick Diaz, e quebrando recordes no UFC. Entre seus recordes está: lutador há mais tempo invicto da atualidade no UFC (12 vitórias consecutivas), o lutador mais vitorioso dentro do UFC (19 vitórias); campeão com mais vitórias em lutas valendo títulos da organização (13).

AFASTAMENTO E VOLTA

Depois da sua nona vitória no UFC, contra Johny Hendricks pelo UFC 167 em novembro de 2013, St. Pierre anunciou que faria uma pausa por tempo indeterminado na sua carreira no UFC, afirmando não estar 100% bem mentalmente para continuar lutando, porém, enganou-se quem achou que seria o encerramento de uma carreira vitoriosa de um dos principais nomes do UFC. Pouco mais de três anos depois de se afastar do octógono, George St. Pierre anunciou em meados de fevereiro de 2017 que voltará a lutar, assinando um novo contrato de quatro anos com o UFC, o que foi confirmado pelo presidente do UFC, Dana White. “Ele voltou. Estou empolgado. Nós trabalhamos nisso por muito tempo e finalmente finalizamos”, afirmou o mandatário em entrevista ao jornal “LA Times”.

Por enquanto, ainda não há nenhuma luta confirmada para GSP, mas já pode-se especular, sendo muito possível acontecer ainda este ano. Segundo Dana White, como ainda não perdeu o cinturão em combate, St. Pierre poderá disputar o título dos pesos-meio-médios com o vencedor entre Tyron Woodley e Stephen Thompson, ou até mesmo Michael Bisping, atual campeão dos pesos-médios do UFC. “(Seu adversário) Pode ser o vencedor entre Tyron Woodley e Stephen "Wonderboy" Thompson, ou pode ser o Michael Bisping. Georges também falou em lutar no peso-leve. Ele disse que pode bater o peso. Mas eu não tenho ideia de quem ele vai enfrentar agora. Nós não temos nada marcado e literalmente não falamos com ninguém sobre isso” afirmou o presidente do UFC..

As melhores odds e mercados para apostar no UFC estão na Bet365.

 

carreira, george st. pierre, ufc

Partilhar "Mais quatro anos de George ST. Pierre no UFC" via:

Enviar comentário

Comentário (0)