ONLINE
42
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  Visit our site available at: Go to Online Betting Academy
           

Fedor Emelianenko, o último Imperador!


Fedor Emelianenko, o último Imperador!
Fedor Emelianenko, conhecido como ‘O último Imperador’ é considerado por muitos o maior lutador peso pesado da história do MMA. O lutador russo foi eleito como o melhor peso pesado de todos os tempos. O lutador está atualmente com 40 anos e fez sua última luta em junho de 2016.

O INÍCIO DA LENDA

O menino Fedor Emelianenko nasceu em 1976 em Rubizhne, antiga cidade da União Soviética, onde hoje é a Ucrania. Com 2 anos foi para Stary Oskol, Belgrado, Rússia Soviética. Fedor Emelianenko é faixa preta de Judô e Grã-Mestre de Sambô. O Sambô é uma arte marcial originada na União Soviética em 1881 e tem raízes derivada de várias artes marciais. Em 1938 o Sambô foi reconhecido como esporte pela União Soviética. O Sambo de auto defesa praticado em sua juventude é similar ao Jiu-Jitsu e aikido, porém Fedor serviu o exército russo de 1995 a 1997 e desenvolveu o Sambo de Combate, utilizado pelos militares, onde inclui formas de combate completas com chutes e socos com um caráter bem mais agressivo. Fedor foi quatro vezes campeão mundial de sambô, participou de inúmeras competições de MMA.  O lutador de 1,82 m de altura e 102 kg, aparentemente sempre pareceu estar meio fora de forma devido a uma barriguinha saliente, se tornou a maior lenda do MMA. O dom parece ser de família, já que Fedor tem outros dois irmãos lutadores, Ivan Emelianenko e Alexander Emelianenko.

RINGS E PRIDE

Fedor participou da organização japonesa RINGS, onde atuou em doze lutas, perdendo somente uma luta para o japonês Tsuyoshi Kohsaka, quando levou uma cabeça acidental e proibida no regulamento, abrindo um ferimento que Fedor tinha sofrido em uma luta anterior na vitória sobre o brasileiro Ricardo Arona.
 
Após a RINGS, Fedor foi para o PRIDE participar do “Pride Fighting Championships” onde em sua primeira luta venceu o gigante holandês Semmy Schilt de 2,11 m de altura, na segunda luta venceu Heath Hering, o que o credenciou a disputar o cinturão peso-pesado do PRIDE. Em março de 2003 venceu o brasileiro Antônio Rodrigo Nogueira e se tornou o campeão dos pesados do PRIDE. Em 2004 participou de cinco lutas do “Pride Heavyweight Grand Prix 2004”, onde venceu   Mark Coleman, Kevin Randleman, Naoya Ogawa e novamente Antônio Rodrigo Nogueira, esta  última disputada em duas lutas, já que na primeira o brasileiro deu uma cabeça acidental e a luta foi interrompida e realizada meses depois com a vitória de Fedor, ou seja Fedor venceu os quatro oponentes naquele ano.
 
Em 2005 mais três vitórias para sua carreira, entre elas a épica batalha contra o croata Mirko Crocop, onde após três rounds Fedor venceu por decisão unânime dos juízes. Em 2006 Fedor venceu mais duas lendas do MMA, Mark Coleman por finalização de chave de braço e Mark Hunt com finalização por Kimura, se tornando invicto no Pride.
 
AFFICTION
 
Fedor seguiria sua série de vitórias, agora no envento Affiction, já na estreia venceu o duas vezes campeão peso-pesado do UFC Tim Sylvia por mata leão no primeiro round e tornou-se o primeiro campeão peso pesado do WAMMA (World Alliance of Mixed Martial Arts). Na luta seguida, Fedor defendeu seu cinturão contra o ex-campeão peso-pesado do UFC, Andrei Arlovski. Fedor nocauteou Andrei com um nocaute no primeiro round com um cruzado bem na hora em que Andrei tentou dar uma joelhada voadora.
 
STRIKEFORCE E ANÚNCIO DE APOSENTADORIA
 
O evento Strikeforce foi uma verdadeira frustração na vida do russo Fedor Emelianenko, foram quatro lutas, com uma vitória e três derrotas. Na sua estreia no fim de 2009, venceu o norte americano Brett Rogers com nocaute por soco no segundo round, porém em seguida viria o período mais crítico da carreira do russo. Na metade de 2010, fez sua segunda luta na competição e perdeu para o brasileiro Fabrício Werdum com um triângulo com chave de braço no primeiro round. Na luta seguinte, no início de 2011, perdeu para outro brasileiro, Antônio Silva por nocaute técnico com interrupção médica.  Na metade de 2011, Fedor fez sua terceira luta, desta vez com o norte americano Dan Henderson que já havia conquistado o título de campeão do meio médio do Pride. Fedor perdeu aos 28 segundos do primeiro round com socos em um nocaute técnico.
 
Após as derrotas no Strikeforce, Fedor ainda lutou mais três vezes, encerrando a carreira derrotando o norte americano Jeff Monson por decisão unânime no M-1 Global em Moscou, venceu também Satoshi Ishii por nocaute com socos no Fight For Japan no Japão e ainda venceu o brasileiro Pedro Rizzo por nocaute com socos no M1-Global no Japão em uma luta que foi declarada como a aposentadoria da lenda russa em 21 de julho de 2012 com 35 anos de idade.
 
O RETORNO DE FEDOR
 
Em 2015, com 39 anos de idade, Fedor volta ao ringue em um evento da Rizin Fighting Federation, antigos donos do Pride e surpreende a todos vencendo o indiano Jaideep Singh, lutador de Kickboxing com cartel de 40 vitórias e 10 derrotas (Foto destacada). Fedor ainda lutou em junho de 2016 contra o brasileiro Fábio Maldonado em uma luta muito violenta onde o russo foi muito castigado pelo brasileiro, porém Fedor venceu por decisão unânime após três rounds de cinco minutos, decretando uma sequência de cinco vitórias nas últimas cinco lutas.
 
Esta foi a última luta de Fedor, que é considerado o único grande lutador de MMA que nunca atuou no UFC, a maior franquia de MMA do mundo, devido a desafetos e a não chegar em um acordo com Dana White, o presidente da franquia.  Sua trajetória de conquistas no MMA lhe rendeu um cartel de 41 lutas, 36 vitórias e 4 derrotas. Entre suas vitórias foram 11 nocautes, 16 finalizações, 9 por decisão dos juízes. Suas 4 derrotas foram 3 por nocaute e uma por finalização.
fedor emelianenko

Partilhar "Fedor Emelianenko, o último Imperador!" via:

Enviar comentário

Comentário (0)