ONLINE
13
Menu
Começar Pontos Academia Curso Prognósticos    Análises    Pesquisar Prognósticos Estatísticas de Futebol Estatísticas de Tênis Estatísticas de Basquete Estatísticas de MotorSports Artigos Promoções Concursos Fórum

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  Visit our site in english Go to Betting Academy
           

O dia a dia de um apostador profissional


O dia a dia de um apostador profissional

Sou trader, punter e tipster profissional em mercados de futebol e cavalos. Já tenho escrito vários artigos para a Academia das Apostas, e aproveito agora para me apresentar e contar o que é um dia da minha vida.

Começo por lembrar que é possível ganhar dinheiro com as apostas desportivas: não é sorte, é matemática.

Hoje no mundo todo, centenas de bilhões de Libras são movimentados em apostas, esse tipo de coisa não aconteceria se isso não desse lucro e não falo do lucro apenas das casas de apostas, mas também dos profissionais do ramo.

A primeira pergunta é, como isso é possível?

E a resposta é simples: a matemática permite isso. Pois uma casa de apostas ganha com você perdendo a aposta ou vencendo, tanto faz pois existe a comissão que ela coloca em cima da odd projetada, odd que é a probabilidade daquela possibilidade acontecer.

E a segunda pergunta é, como um apostador consegue ser lucrativo nesse jogo?

Pra começar não se trata de um jogo. Nós apostadores não somos jogadores, e nem as apostas esportivas são um tipo de jogo de azar, essa informação é equivocada e totalmente errada. E a resposta pra essa pergunta também é simples e é semelhante à primeira, pois se a casa de apostas coloca a comissão dela em cima das odds e ganha de todo o jeito, o apostador faz o mesmo, e no longo prazo ele consegue ser lucrativo.

A diferença é que o apostador corre atrás de identificar odds desajustadas e feitas equivocadamente pelas casas de apostas, assim pegando valor nessas linhas e assim no longo prazo de uma temporada, com muito estudo, ele consegue ser lucrativo.

Isso não tem nada a ver com acertar uma aposta ou errar, um apostador não visa acertar a aposta, ele visa apostar em linhas com valores comprovados na matemática dele.


Confuso? Pois não deveria, veja um apostador como um investidor, pois é isso que todos nós somos, ao contrário do que todos pensam não jogamos com a sorte e sim nos baseamos em números.

Não estou escrevendo esse artigo para dar aula de probabilidade, mas basicamente as apostas esportivas são matemática pura e a diferença para outros jogos que tem a mesma base matemática, como a roleta por exemplo, é que nas apostas esportivas se consegue extrair valor pelas variáveis que são atribuídas aos eventos, fato que não deixa as casas de apostas chegarem a probabilidades reais nos eventos.

É justamente nesse ponto que um grande apostador se destaca, pois ele consegue chegar mais perto das probabilidades verdadeiras para aquele evento do que as casas de apostas, isso com muito estudo e dedicação.

Já na roleta, toda a aposta que você fizer já é perdedora matematicamente no longo prazo, basta estudar as apostas dispostas nesse tipo de jogo e fazer as contas.


Outro fator é, as apostas são um tipo de contrato sobre quem teria razão em um evento, logo é sempre estranho ver apostas esportivas enquadradas em jogo de azar, mas estamos no Brasil, um lugar onde uma mentira mal contada tem mais credibilidade do que a verdade.


Logo como todo apreciador de matemática, não acredito em sorte ou azar, acho que tudo que acontece era pra acontecer, e se havia a possibilidade de aquilo ocorrer, então existe uma probabilidade para descrever isso numericamente.

O mesmo estudo que os administradores, empresários fazem ao abrir um negócio, nós apostadores também fazemos para investir nosso dinheiro. Logo apostar na vitória de um time não é algo tão diferente do que investir em um restaurante por exemplo.

Ou seja, apostas esportivas são puramente matemática. Não buscamos vencedores e sim buscamos projetar as probabilidades o mais corretamente possível e aplicando o nosso conhecimento no esporte, avaliamos a melhor escolha e se a probabilidade dada é de valor para investir...

São coisas complexas. Estudamos horas por dia, corremos outras tantas horas atrás de informações, mas quando perguntamos a uma pessoa comum como ela imagina um apostador profissional, a pessoa ou não consegue descrever o apostador, ou descreve os estereótipos que o cinema lhes apresenta, sendo ricaços entediados ou mafiosos fumando charutos cubanos e vivendo uma vida de drogas, mulheres e crimes, sendo que a realidade é muito diferente...

Hoje no Brasil temos alguns apostadores profissionais, entre traders, brokers, tipsters e punters que gerenciam suas próprias bancas. Destes mencionados são muito poucos os que tem como principal renda as apostas esportivas, a maioria tem as apostas como fonte de renda extra e mesmo assim grande parte não deixa de ser um profissional qualificado no meio, por fazer das apostas apenas renda extra.


A MINHA EXPERIÊNCIA

Dos que têm as apostas como maior fonte de renda, poucos são punters, conheço apenas 3 no Brasil e um deles é um broker e tipster muito conhecido e não tem em uma banca própria, mas vive exclusivamente das apostas esportivas. Eu me encaixo no grupo de apenas 3 punters que tiram a maior parte de sua renda de uma banca própria. É mais difícil ver punters profissionais gerindo uma banca e vivendo disso, do que traders, já que para ser um trader profissional e tirar bons rendimentos anuais não é necessário ter bancas muito altas, já no mercado punter, com toda a sinceridade do mundo, com menos de 100 Mil você quase passaria fome.

No início, ser um trader me ajudou muito a levantar a banca, mas hoje dedicar o meu tempo integral ao trading não é mais necessário, logo foco em poucas operações por semana e me concentro no pré-live em mercados com muita liquidez, onde possa fazer poucos movimentos e tirar deles bons lucros. Trading durante o live do evento, opero apenas em futebol e em jogos escolhidos a dedo.

A minha rotina começa às 5h da manhã horário de Brasília sem atrasos, e ai não importa se dormi bem ou não, ou se virei a madrugada acordado, pois o mercado não para por minha causa. Hoje sou apostador de dois mercados bem diferentes, futebol e corridas de cavalos e também faço trading em ambos, mas vale salientar que o conhecimento para ser um trader nesse mercado e ser um punter são totalmente diferentes, logo ser punter dá muito mais trabalho.

Pense bem, acordo as 5h da matina, tomo café e como algo, logo depois:

  • faço os primeiros levantamentos nos hipódromos da Grã-Bretanha,
  • vejo condições atmosféricas, estado do terreno,
  • pego as últimas informações gerais com alguns tratadores que trabalham nos locais dos eventos,
  • e depois foco nos bancos de dados para projetar as probabilidades para algumas corridas pré-selecionadas.

Entretanto alterno os dias em que começo estudando corridas de cavalos, pois tem dias que preciso focar na abertura das odds de certos campeonatos de futebol, os quais costumam abrir por volta das 5h da manhã nas casas asiáticas, geralmente eu já tenho as linhas projetadas na noite anterior a abertura, logo pela manhã só confirmo as linhas e as odds e faço as minhas apostas.


Mas no futebol a parte da confirmação não demora muito, meia hora ou menos, confirmo as linhas, faço minhas apostas e já estou liberado para focar nas corridas de cavalos.

Os estudos do mercado de cavalos termino sempre por volta das 8h da manhã, em seguida envio as dicas de apostas para os grupos de investidores que me contratam. Depois disso começo a escrever prognósticos para os sites os quais presto esse serviço. O que acaba sendo algo muito importante na minha rotina, já que durante a escrita desses prognósticos, por várias vezes me dei conta que a aposta que eu iria fazer, talvez não fosse a melhor linha para o evento, pois quando escrevemos sobre um confronto, analisamos a fundo o evento e não deixamos passar nada, e ai, o que era bom antes olhando apenas para os números, se mostra que não é tão bom assim ao analisar mais profundamente, e isso se torna algo vital na minha visão.

Costumo passar o dia inteiro focado nas apostas, logo passo o dia escrevendo sobre. Faço alguns intervalos para assistir alguma corrida de cavalos, às vezes faço algumas operações de trading antes das corridas, nunca durante.

Depois do almoço, sigo a mesma rotina de escrita, porém durante a tarde costumo fazer muitas pausas, alternando uma pausa entre 1h30 de trabalho para não me estressar. Pois às vezes se fica tanto tempo na frente de um computador que é preciso sair e conversar com alguém apenas para lembrar que você ainda é humano.

As pausas são muito importantes para evitar o estresse, aprendi isso da pior maneira possível, mas sei que a saúde física e mental precisa sempre estar em dia, pois se sobrecarregar em qualquer função lhe proporciona uma colheita ruim dos frutos do seu trabalho, além de comprometer sua saúde.

Durante a semana, exceto em dias de jogos da Champions, costumo encerrar os trabalhos as 16h30 da tarde e em dias de Champions espero apenas o jogo que estou acompanhando acabar. Das 16h30 em diante sempre tenho tempo livre, já que não aposto como punter no live dos eventos e escolho a dedo os jogos em que vou operar como trader, tenho sempre muito tempo livre, os únicos dias que trabalho a noite é quando é o último dia da rodada de algum campeonato que acompanho profissionalmente no futebol, logo espero a rodada acabar para projetar as linhas, ou no caso da MLS, projeto antes dos últimos jogos iniciarem e depois confiro alguns resultados para mudar uma linha ou outra. No fim-de-semana eu só trabalho no Sábado pela manhã operando como trader em algum jogo da Bundesliga.


Tudo que foi dito resume meus dias na profissão de apostador. Falando assim parece que tudo é muito simples e tranqüilo, porém ao mesmo tempo que estou gerindo minha própria banca com 6 dígitos, sou apostador de corridas de cavalos, mercado onde a variância é enorme e a sequência de reds às vezes parece nunca acabar. Já tive prejuízo de mais de 40 mil seguidos em menos de 1 mês, o que para uma banca como a minha, que tem pretensões de extrair em um ano algo superior a 100 Mil de lucro, é doloroso e frustrante. O importante é não perder a cabeça nem enfiar os pés pelas mãos. Qualquer red com o trabalho certo e sem precipitação ou nervosismo se recupera muito rápido e ao natural, por isso nunca se pode perder as estribeiras e forçar algo.

O que eu não mencionei é que durante o dia ainda temos a troca de informações com outros apostadores, a captação de informação de scouts, a procura por informações sobre os times.

Eu não comento muito sobre, mas essa busca por informações é sempre o fator que lhe rouba mais tempo durante o dia, porém eu aprendi a otimizar o meu tempo quanto a isso. Sempre que vou fazer algum lanche, almoçar, enfrento alguma fila em banco, ou qualquer lugar, onde eu parar por algum motivo, eu abro o notebook, ou olho no celular, e folheio notícias acessíveis na grande rede. Observo as páginas das redes sociais dos times, observo fóruns que poderiam ter informações sobre as equipes, converso com outros apostadores e por fim vejo o que os meus scouts têm para me mostrar.

Geralmente eles dão conta apenas de alguns times, me mandam notícias quentes, sobre baixas, salários atrasados, grupo rachado, lesões, mudanças de tática, declarações polêmicas, tudo que eu precisar sobre certa equipe. Entretanto eu não tenho informantes para todos os times de uma liga e preciso correr atrás do resto das notícias, mas ter às vezes uma informação interna, é sempre algo vital para aumentar a stake na hora de apostar, assim como o contato com outros apostadores de respeito no cenário, pois isso ajuda muito na hora de refletir sobre uma aposta.


Essa é basicamente a minha rotina de trabalho hoje, antigamente era insana, principalmente para tentar aumentar a banca, hoje em dia é mais tranquilo, porém a responsabilidade aumentou bastante. Eu gosto de cada parte dessa rotina, creio que cada processo é importante para um bom produto final.

Hoje eu tenho uma gestão de banca bem definida, trabalho por um ano inteiro para fechar o balanço de lucros e perdas apenas no final, assim saco parte do lucro para passar o próximo ano e parte desse lucro volta para a banca para aumentá-la. A outra parte é imposto. Da fatia que saquei para me sustentar durante o ano, eu divido em 14 partes, uma para cada mês do ano e outra para férias, a décima quarta parte é dinheiro para alguma emergência. Fora tudo isso ainda conto com a renda dos meus serviços como tipster, escrevendo para sites, trabalhando com investidores e vendendo picks em sites do ramo, juntando tudo isso da mais um bom salário mensal.


Essa é basicamente a minha vida como profissional das apostas, e ainda estou no início dela, eu gosto desse ramo de trabalho, gosto da base matemática que é empregada nisso, é uma profissão que eu vou levar para o resto da vida.

Muitos acham que não existe estabilidade financeira com as apostas e se enganam completamente, pois a gestão deve ser feita como se faz em uma empresa, é algo simples, basta pensar um pouco, pois para você faturar com a sua empresa, a empresa precisa faturar, nas apostas é a mesma coisa, entretanto você não depende de ninguém, pois as suas escolhas definem o seu futuro.

É preciso investir certo e saber calcular a sua variância, pois você terá altos e baixos durante uma temporada e isso nada tem a ver com sorte ou azar como foi dito no início, pois as apostas esportivas são puramente matemática, e para a matemática a sorte não existe. Logo driblar a variância é algo simples, só é preciso paciência e foco, mantendo isso sempre em mente, você não terá problemas para sair com um bom lucro de uma temporada.


Falei da minha rotina e não me apresentei. Meu nome é Josué Ramos, sou Brasileiro, Gaúcho, moro no interior do Rio Grande do Sul. Sou trader, punter e tipster profissional. Como tipster trabalho para os maiores sites do mundo do ramo, como a Academia das Apostas, onde também já levo vários artigos escritos da minha autoria. Estou apenas no início de uma carreira, tenho muitas metas ainda para serem batidas e muitas outras para serem alcançadas, tenho muito ainda para aprender e evoluir dentro desse mercado. Esse é apenas o início da estrada.


Espero que tenham gostado do artigo, um grande abraço e bons lucros a todos.

 

josué ramos, matemática, sorte ou azar, vida de apostador, vida de tipster, vida de trader

Partilhar "O dia a dia de um apostador profissional" via:

Procurar

Rivalo apostas esportivas